Publicado em Deixe um comentário

O Vidro sobre uma nova luz

O Vidro sobre uma nova luz

O vidro sobre uma nova luz

Olá, daqui Glass Heart,

Hoje, domingo, acordámos por volta das 09h00 e dentro daquela rotina em que bebemos um bom café e tomamos o pequeno-almoço seguido de um duche bem quentinho, “vitrificámos” os nossos pensamentos a encontrar um tema que ajude a desencadear os nossos seguidores e a ver o vidro sobre uma nova luz.

E qual seria o tema mais adequado, do que o de dar a conhecer os vários tipos de vidro, todo o seu processo de fabrico e os seus benefícios de utilização!?

Pois é caríssimo leitor, não se surpreenda se encontrar por aí pessoas verdadeiramente apaixonadas pela arte da fabricação do vidro. Por exemplo, com o vidro quente, elas utilizam a técnica milenar artesanal do sopro para a moldagem e unem a sua dedicação e paixão a esculpir deslumbrantes e inigualáveis peças decorativas.

Mas todo o processo de fabricação começa dentro de um forno, de pequenas ou grandes dimensões dependendo da técnica utilizada, com temperaturas a rondar os 1250ºC/1300ºC durante algumas horas para fundir todas os compostos da mistura vitrificável, que são basicamente 70% de sílica, que se apresenta em forma de areia (encontrada no fundo dos lagos e pedreiras), 14% de soda que se apresenta em forma de carbonato de sódio, 14% de calcário, 2% de outros componentes que permitem a coloração do vidro e uma vez que o vidro é 100% reciclável podemos adicionar também detritos de vidro para ajudar a economizar alguma desta matéria-prima.

Todas estas propriedades maravilhosas fundidas conduzem-nos a algumas técnicas de fabrico e acabamento do vidro para a finalidade na qual se destina. Ora veja:

  • A técnica do vidro temperado, que permite o aquecimento entre 700°C e 750°C através de um forno e um tratamento com choque térmico, para o aumento da resistência;
  • A técnica milenar artesanal do sopro de ar, em que o vidro é assoprado pelo artesão com uma espécie de canudo grande e forma esculturas, que na sua maioria são meramente para fins decorativos;
  • As técnicas soprado-soprado e prensado-soprado no fabrico automático, em que o vidro sai do forno na sua forma viscosa com uma cor de mel (um “espetáculo” lindo para se ver, quase parece lava a escorrer de um vulcão em erupção) que escorre pelas calhas em direção ao molde, onde é adaptada uma destas duas técnicas citadas para moldar a peça.

Depois de mais de 4000 anos a fazer história (pode ler o artigo aqui), têm-se desenvolvido vários tipos de vidro e todos eles com diferentes funções, que são:

  1. O vidro domestico – Copos, pratos, travessas, palhinhas ou até mesmo tigelas;
  2. O vidro para a construção civil – Vidros planos lisos, vidros impressos, vidros refletivos, vidros antirreflexo, vidros temperados, vidros laminados, vidros coloridos, vidros serigrafados, vidros curvos;
  3. O Vidro técnico – Lâmpadas, tubos de TV, vidros para laboratório, garrafas térmicas, vidros oftálmicos e isoladores elétricos;
  4. O Vidro temperado – Vidros dos carros, dos chuveiros ou banheiras;
  5. O Vidro comum decorado ou beneficiado – Vidros lapidados, tonalizados, acidados, laqueados e pintados, utilizados na fabricação de tampos de mesas, prateleiras, aparadores, bases e porta-retratos;
  6. O Vidro para embalagens – Garrafas, potes, frascos e outros vasilhames.

Os benefícios do vidro são infinitos, ele conduz a um estilo de vida mais sustentável pois é 100% natural (não altera o sabor dos alimentos, logo os produtos embalados terão a melhor qualidade), é 100% reciclável (não é nocivo ao meio ambiente), é higiénico, inerte, impermeável (a líquidos), transparente (permeável à luz) e a sua durabilidade é indeterminada.

Esperamos tê-lo ajudado a desmistificar todo o conceito que envolve o fabrico do vidro e a vê-lo sobre uma nova luz.

Gota-de-Vidro

Obrigada pela sua visita, um abraço.

Até breve.

 

Pode juntar-se também ao movimento Friends of glass em:

https://www.friendsofglass.com

Leave a Reply